Anuncio top


Anuncio top


Saúde do Trabalho Segurança do trabalho

Tipos de precaução hospitalar

Quem passa a maior parte do tempo dedicando-se ao cuidado com a saúde das pessoas também precisam de atenção especial. Estamos falando de médicos, enfermeiros e todos os profissionais que diariamente trabalham em hospitais ou instituições de saúde.

Estes profissionais estão constantemente expostos à inúmeros agentes químicos, físicos e biológicos causadores de doenças. Por isso, são necessários procedimentos específicos para evitar possíveis riscos de contaminação.

Existem dois tipos de precaução a serem adotados para profissionais da saúde: a padrão e específica. Como o próprio significado da palavra já diz, precaução são todas as formas antecipadas de se prevenir um mal, os cuidados necessários para prevenção.

Precaução padrão

A precaução padrão deve ser aplicada no atendimento a todos os pacientes em qualquer ambiente e independente do seu estado de saúde, ou seja, com ou sem suspeita de alguma infecção. Nestes casos, os materiais devem ser manuseados com cuidado, utilizando o descarte correto, transporte adequado e procedimentos recomendados de limpeza.

Os EPIs, equipamentos de proteção individuais, são indispensáveis para uma proteção completa, reduzindo a exposição a agentes químicos físicos e biológicos nocivos à saúde. Os equipamentos utilizados incluem luvas, toucas, aventais, sapatos especiais, máscaras, óculos, entre outros.

Cuidados com a higiene também são essenciais, devendo manter o ambiente sempre limpo e livre de agentes contaminantes. Lembre-se sempre de manter as mãos limpas, principalmente após o contato com o paciente.

Precaução específica

Outro tipo de precaução é a específica. Ela é adotada quando existe algum modo específico de transmissão da doença, e é caracterizada pelo possível isolamento do paciente. O contágio pode ocorrer por três vias principais: por contato, gotículas ou aerossóis.

 

Por meio de contato

Se a transmissão da doença acontecer por meio de contato, devem ser utilizados equipamentos como aventais e luvas descartáveis ao tocar no paciente ou manipular objetos. Esses cuidados devem ser tomados em caso de suspeitas ou comprovações de proliferação ou infecção por micro-organismos, cuja meio de transmissão seja por contato direto ou indireto.

Por meio de gotículas

Quando ocorre por meio de gotículas, seu contágio é pelas vias respiratórias, ao tossir, espirrar ou falar. Sua prevenção é recomendada com a utilização de máscaras cirúrgicas e com o isolamento do paciente, na medida do possível. Quando não há esta possibilidade, deve-se colocá-lo junto com outros que possuam a mesma doença, mantendo a distância mínima de 1 metro entre eles. As visitas ao paciente devem ser controladas ou, até mesmo, restritas.

Por meio de aerossóis

Já por meio de aerossóis, a contaminação é pelas vias respiratórias, a partir de partículas suspensas no ar, que podem se espalhar por longas distâncias. É necessário o uso de máscaras com filtros especiais, sendo necessária também a filtragem de alta eficiência do ar do ambiente. As portas do quarto devem permanecer fechadas e o paciente mantido em isolado. As visitas além de restritas precisam ser orientadas.

Conclusão

Como vimos, é essencial adotar as medidas para prevenir o contágio de doenças durante o trabalho em ambientes hospitalares, de acordo com as particularidades de cada situação. Para todos os casos, é extremamente importante a correta higienização das mãos, antes e depois de qualquer procedimento.

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *