Anuncio top


Anuncio top


Saúde do Trabalho

Saiba a importância das roupas hospitalares

Roupas hospitalares sempre foram um assunto preocupante e que merece toda atenção em instituições médicas.

Um estudo realizado no Reino Unido comprovou que 60% dos esporos da bactéria Clostridium difficile permanecem na roupa hospitalar mesmo após a lavagem.

A C. difficile está presente, de forma natural, na flora intestinal de cerca de 3% dos adultos e 66% das crianças. Ela não causa problemas em pessoas saudáveis, mas o uso de certos antibióticos pode levar ao crescimento anormal de sua quantidade. Nestes casos, o indivíduo pode apresentar sintomas como diarreias e febre.

O Reino Unido estabelece critérios abrangentes para a lavagem de roupas hospitalares, sugerindo ciclos de 65°C por 10 minutos, ou de 71°C por 3 minutos com uso de sabão.

Mesmo com essas medidas, ainda existe riscos de contaminação. Há possibilidade de que até 27% dos pacientes se tornem portadores dessa bactéria, sem apresentar nenhum sinal perceptível.

Já no Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, publicou, em 2009, o manual de Processamento de Roupas de Serviços de Saúde, estabelecendo procedimentos a serem seguidos no armazenamento, transporte, infraestrutura e lavagem das roupas.

A publicação recomenda que a água deve ser aquecida entre 22°C e 50°C, com o uso controlado de produtos à base de cloro. Dependendo do nível de sujeira na qual a roupa se encontra, recomenda-se métodos diferentes de limpeza. Os procedimentos e produtos utilizados podem variar ao longo do tempo, com o avanço de novas tecnologias e materiais.

Por não ficarem estéreis após todo o processo de limpeza, tais roupas não podem ser utilizadas em determinados ambientes, como por exemplo nas salas cirúrgicas. Nestes casos específicos, devem ser utilizados materiais e procedimentos adequados que garantam a completa eliminação de patógenos.

Desta forma, deve-se ficar atento aos cuidados com as roupas utilizadas em serviços de saúde, seguindo as normas aplicáveis ao setor.

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *