Anuncio top


Anuncio top


Destaque Segurança do trabalho

Biossegurança: cuidados redobrados em período de pandemia

A pandemia provocada pelo coronavírus no país trouxe uma preocupação maior com os profissionais que atuam na área da saúde, afinal, o contato direto com pacientes traz exposição aos riscos biológicos.

Nesse momento, os cuidados precisam ser redobrados para evitar os riscos de contaminação e a biossegurança evolve as medidas específicas em defesa desses profissionais.

As instituições de saúde recomendam uma série de ações para minimizar os riscos de exposição ocupacional e uma dessas medidas é o uso correto e apropriado dos Equipamentos de Proteção Individual, os EPIs.

Equipamentos de proteção individual

Conforme descrição da Norma Regulamentadora de número 6, os EPIs são dispositivos ou produtos de uso individual utilizados pelo trabalhador, destinados à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.

E quais são os EPIs para a segurança dos trabalhadores da área da saúde?

Os principais são:

Luvas de procedimento: As luvas são EPIs para proteção dos membros superiores. Elas devem ser utilizadas no caso de contato com sangue e líquidos corporais e no contato de mucosas e pele de todos os pacientes. Sua composição geralmente é à base de látex, vinil e nitrílica e seu uso é único, não podendo ser reaproveitada para outro atendimento.

Máscaras de proteção respiratória: As máscaras são EPIs de proteção respiratória. Sua indicação é na prevenção de doenças por transmissão aérea.

Esse EPI é uma peça semifacial com capacidade de filtração mínima de 94% contra a penetração de aerossóis.

A máscara classificada como PFF2/N95 é usada na precaução por aerossóis, que são partículas que permanecem suspensas no ar. No caso de pacientes com suspeita de contaminação pelo COVID-19, essa é a recomendada para o atendimento.

Já a máscara cirúrgica serve para proteger de infecções por meio de inalações de gotículas, transmitidas a curta distância e pela projeção de sangue ou outros fluídos corpóreos que possam atingir suas vias respiratórias.

A máscara cirúrgica possui gramatura que assegura uma efetiva barreira, que impede a contaminação do ambiente, com secreções respiratórias geradas pelo profissional da saúde ou pelo paciente.

As máscaras são equipamentos de uso único e devem ser descartadas após o uso.

Viseiras: Este EPI deve ser adotado em casos como intubação orotraqueal (IOT) ou aspiração de paciente entubado. É muito importante ressaltar que o uso da viseira não substitui a máscara, sendo o procedimento correto o uso da máscara com viseira por cima. A viseira pode ser útil como forma de proteger a máscara de secreções, que podem cair sobre ela e a inutilizar.

Óculos de Proteção: Os óculos são protetores da face e dos olhos. Eles foram criados para proteger a mucosa ocular e devem ser usados nos casos de contato com sangue, líquidos corporais e com mucosas de todos os pacientes.

Esse EPI é confeccionado de material acrílico que não compromete a visão e se adapta facilmente ao rosto. Ele deve ter proteção lateral e algum dispositivo que evite embaçar. Sua validade é indeterminada e pode ser reutilizado, desde que seja feita a higienização necessária.

Aventais: O avental descartável é o EPI para proteção do tronco. Ele é responsável em proteger a pele e as roupas e também ajuda a prevenir a transmissão de doenças causadas por microrganismos através do contato.

Ele é confeccionado de Tecido Não Tecido, conhecido como TNT, é composto por polipropileno 100% e possui manga longa com punho em látex. Após o atendimento do paciente, deve ser descartado.

Toucas ou Gorros: são EPIs para proteção da cabeça, responsáveis por formar uma barreira de proteção contra microrganismos do cabelo e couro cabeludo.

Sua indicação é para procedimentos que envolvem a dispersão de aerossóis, projeção de partícula e proteção de pacientes, na maioria das vezes quando o atendimento envolver procedimentos cirúrgicos.

A touca também é confeccionada em TNT e deve ser inutilizada após o uso.

Sapatos: os sapatos são EPIs para proteção dos membros inferiores, eles protegem os pés dos lugares úmidos e dos materiais infectantes que podem causar prejuízos à saúde.

A Norma Regulamentadora 32 recomenda sempre o uso de sapatos fechados para todo e qualquer atendimento médico. Esse EPI não é descartável, apenas é necessário manter a higienização adequada.

Segurança na colocação e retirada dos EPIs

Antes de colocar qualquer equipamento de proteção individual, faça a higienização das mãos com água e sabonete líquido ou preparação alcoólica a 70%, vista primeiro o avental descartável, na sequência coloque a touca ou o gorro, vista a máscara cirúrgica descartável ou a máscara PFF2/N95, depois coloque os óculos e vista a luva.

Para retirada, o processo inverso deve ser seguido, comece retirando as luvas, na sequência touca ou gorro, depois o avental, os óculos de proteção, a máscara, e faça a higienização das mãos.

Acompanhe a Safe e mantenha-se atualizado das informações sobre saúde. Conheça nossas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/safemedicinaocupacional/

Instagram: https://www.instagram.com/safemedicinaocupacional

LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/safebr

Twitter: https://twitter.com/SafeMedicina

 

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *