Anuncio top


Anuncio top


alegia
Legislação Saúde do Trabalho

Alergia: Um mal que pode ser ocupacional

Coceiras, vermelhidão na pele, tosse, espirros, sensação de ardor e irritação nos olhos, comichão ou obstrução nasal, esses são alguns dos terríveis incômodos que podem acometer alguém num processo alérgico e provavelmente você que está lendo essa matéria já teve algum desses sintomas.

A alergia, ou reação de hipersensibilidade, é uma resposta imunológica exagerada do nosso organismo após exposição a uma substância estranha que ocorre em indivíduos previamente sensibilizados ou que tenham predisposição determinada por herança genética.

Por tratar-se de uma doença que não tem cura, os cuidados em afastar o indivíduo alérgico dos fatores que desencadeiam a reação devem ser permanentes.

Agentes Causadores

As alergias podem ser respiratórias, de pele e alimentares. Entre os principais causadores podemos destacar:

– Ácaros e insetos;

– Mofo e fungos em geral;

– Pele e pelos de animais;

– Esporos de fungos e pólens de flores;

– Alimentos;

– Medicação;

– Fatores emocionais.

Alergias Ocupacionais

No ambiente de trabalho, o contato com produtos químicos e outras substâncias podem acarretar uma série de alergias.

Nas profissões de pintores, metalúrgicos, pedreiros, padeiros, cabelereiros, farmacêuticos, há uma incidência de casos, porém nenhum profissional está totalmente livre de desenvolver alergias durante as atividades laborais.

Componentes como poeiras, farinhas, látex, proteína animal, anidridos, formol, isocianato, benzeno, entre outros, configuram a lista dos agentes causadores de alergias ocupacionais e as manifestações mais comuns são:

– Asma ocupacional;

– Rinite ocupacional;

– Dermatite ocupacional.

O uso correto dos Equipamentos de Proteção Individual, como máscaras e luvas continuam sendo o principal aliado na prevenção desses males, pois evitam a exposição direta com esses produtos.

No tratamento, além do acompanhamento médico, é importante que esse funcionário seja remanejado para uma outra função ou que seja analisado as medidas de segurança, reforçando a proteção desse colaborador ao ter contato com as substâncias que estão desencadeando o processo alérgico.

Isso deixa claro a importância das empresas em adotarem um rigoroso Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, o PCMSO. Ele é um documento que estabelece medidas para parametrizar, organizar e planejar os exames médicos admissionais, periódicos, demissional, retorno ao trabalho e mudança de função.

De responsabilidade do empregador o PCMSO é uma obrigatoriedade regulamentada pela NR 7 e auxilia no cumprimento das regras referente a Segurança do Trabalho, saúde e riscos jurídicos que envolvem as relações trabalhistas.

Se sua empresam ainda não possui o PCMSO a SAFE pode te ajudar com toda a implantação. Entre em contato e solicite uma proposta.

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *